CREF Conselho de Educação Física não pode interferir no ensino de Yoga, Dança, Artes Marciais e Esportes de Luta

STJ confirma:

CONFEF/CREF, Conselhos de Educação Física, não podem interferir no ensino de Yoga, Dança, Artes Marciais e Esportes de Luta

26/04/2011 – 15:18 – RESULTADO DE JULGAMENTO FINAL: PROSSEGUINDO O JULGAMENTO, APÓS O VOTO-VISTA DO SR. MINISTRO HAMILTON CARVALHIDO, A TURMA, POR UNANIMIDADE, CONHECEU PARCIALMENTE DO RECURSO ESPECIAL E, NESSA PARTE, NEGOU-LHE PROVIMENTO, NOS TERMOS DO VOTO DO SR. MINISTRO RELATOR.

EM MESA PARA JULGAMENTO – PRIMEIRA TURMA – SESSÃO DO DIA 26/04/2011 14h

Oportuno acabar com a discriminação contra artes marciais e esportes de luta.
http://www.padilla.adv.br/evoluir/perceber

Profissionais em busca da verdade deveriam saber que:
As artes marciais desenvolvem a paz interior e semeiam a harmonia.
http://www.padilla.adv.br/desportivo/artesmarciais

A quem interessa a “crença” de que são supostamente violência?

As corporações que querem lucrar:

Artes marciais e esportes de luta “vacinam” contra a terceirização do pensamento?
Ajuda as crianças a desenvolver toda a capacidade de percepção.
Se os pais, assustados pelas crenças, evitarem colocar os filhos em artes marciais, haverá mais adultos fáceis de aliciar aos padrões de consumo e de comportamento não saudável.

Life is too short to be little…
http://www.padilla.adv.br/evoluir/shibumi/

Registra a tua opinião em
http://ning.it/f30jbq/

—– Original Message —–
Sent: Wednesday, March 23, 2011 2:01 PM
Subject: STJ iniciou julgamento Recurso Especial das decisões impedindo
CONFEF/CREF, Conselhos de Educação Física, de interferir no ensino de Yoga,
Dança, Artes Marciais e Esportes de Luta

O STJ iniciou o julgamento do Recurso Especial interposto das decisões
que impedem os CONFEF e CREF, Conselhos de Educação Física, de interferirem
na prática ou ensino de
Yoga, Dança, Artes Marciais e Esportes de Luta –
inclusive fixa pena pecuniária para qualquer intromissão ou tentativa.

Votou o Ministro Relator, confirmando a Decisão:
17/03/2011 – 14:39 – RESULTADO DE JULGAMENTO PARCIAL
REsp-1012692 RS (2007/0294222-7):
http://www.stj.gov.br/webstj/Processo/justica/jurisprudencia.asp?valor=200702942227

APÓS O VOTO DO SR. MINISTRO RELATOR CONHECENDO PARCIALMENTE DO RECURSO
ESPECIAL E, NESSA PARTE, NEGANDO-LHE PROVIMENTO, PEDIU VISTA O SR. MINISTRO
HAMILTON CARVALHIDO. AGUARDAM OS SRS. MINISTROS TEORI ALBINO ZAVASCKI E
ARNALDO ESTEVES LIMA.

Há muito interesse dos professores de educação física e de seus
Conselhos, CREFs/CONFEF, de criarem um enorme mercado de trabalho:
– Todo local de ensino de dança, yoga, luta, etc., seria obrigado
a contratar professor de educação física e pagar taxas ao CREF.

Os Conselhos passariam a ter ingerência nessas modalidades de atividade.
Aumentar-lhes-iam as arrecadações de anuidades e de taxas, e seu poder
econômico e político.

Valha-me Deus!
O professor de educação física seria “responsável técnico” formalmente, sem
qualquer necessidade de efetivamente conhecer ou apresentar capacidade
técnica na matéria especializada.
Contudo, a maioria dessas atividades exigem conhecimentos e um longo tempo
de formação – incompatíveis com os programas dos cursos de educação física.

O tempo de preparação de um instrutor varia conforme a modalidade.
No exemplo do Karate, para ser instrutor é necessário uma graduação mínima
de 3º Dan, a qual demanda
uma década de dedicação.

Então, porque querer interferir em algo que não entendem?

Até professores de educação física – que lecionam nas redes de ensino –
recusam-se a se filiar ao CREF!
Para ensinar nas escolas, conquistaram habilitação para a atividade
comprovada por diploma de curso superior e enfrentaram concursos.
Como o ensino está aviltado, e os salários baixos, muitos se recusam a pagar
anuidades/taxas ao CREF.

Onde foi parar a dignidade humana dos instrutores de dança, yoga, luta, etc.
de
vasta experiência quando pretendem os sujeitar à “supervisão” de um recém
formado em educação física?
Se a atividades ainda não foi regulamentada, é por omissão do Estado:
http://www.padilla.adv.br/desportivo/artesmarciais/regulamentacao/

A pergunta, que não quer calar:

Toda atividade física necessita de “supervisão” de um filiado ao CREF?

No curso de agronomia, ao aprender a usar os equipamentos de medição, os
alunos fazem muita atividade física. Logo, por essa lógica, os professores
universitários serão obrigados a dispor da “supervisão” de um filiado ao
CREF!

Surreal!

Até para beijar a(o) namorada(o), se trata de uma atividade física com
uma série de implicações, precisaremos de supervisão… Pelo menos que seja de um(a) bela(o) professor(a) de educação física!

Detalhes dos julgamentos da Justiça do RS em:
http://www.padilla.adv.br/cref

Professor Luiz Roberto Nuñes Padilla

Anúncios

Sobre Prof. Padilla suplente de Vereador em Porto Alegre pesquisador transdisciplinar na UFRGS Faculdade de Direito

Professor Sports Law (Direito Desportivo) at Faculdade de Direito at UFRGS, since 1992, advocated the creation of the new discipline in the curriculum courses in Legal Sciences - the "Sports Law", established as a discipline in the Faculty of Law, UFRGS, operationalized by the end of twentieth century, which placed at an important leading position in this area of knowledge, intellectual prominence, even abroad, where it became recognized as a pioneering center of the discipline: http://www.estig.ipbeja.pt/~ac_direito/ddesportodisciplinas.html Master in NLP and Antropology by Salamanca, Spain, coaching, strategy consultant and lawyer, Specialist in Civil Procedure; Doctor Honoris Causa, Bachelor of Law and Social Sciences, UFRGS - Federal University of Rio Grande do Sul (1983), where he also taught College (1992) on the permanent staff, performing the function, without interruption, the Department of Private Law and Civil Procedure from august 29/1992 as a substitute teacher, and from august 25/1994 as of the effective teacher in the vacancy caused by retirement of the Minister Gusmao Athos Carneiro. Source: http://lattes.cnpq.br/3168948157129653 * Research in Process (1989 /...) and Sports Law (1992 /...), currently focused on building a "General Theory of Sports Law". * 1th President of Rotary Clube Porto Alegre Moinhos de Vento (2000-2) * State Attorney at PGE-RS (1993-2006) * Presidente of Sports Court at Gaucha (Rio Grande do Sul State) Karate Federation; 5º Dan/Degree, Refere (1989...); Regional President (1997-2001) of Gaucha (Rio Grande do Sul State) Karate Federation; Juridic Director (1990-1997), National Referee Coordenator (2001-2004), Coordinator of World Karate Championship 1998 at Brazilian Karate Federation; Coordinator of karate at Olimpic Winter (São Paulo, 1995) and Summer (Rio de Janeiro, 1995 and 1996) Festival, of COB-Brazilian Olimpic Comitee.
Esse post foi publicado em Desporto Esportes. Bookmark o link permanente.