Tradição Farroupilha resiste à acultura da superficialidade? Tchê!

Inconfidência Mineira e Revolução Farroupilha armaram-se contra o “Quinto dos Infernos”, imposto que era de APENAS 20%. Hoje, a carga tributária chega a ser 4 vezes maior, e o que acontece…?

A vida é feita de escolhas

http://ning.it/qgGKUu

Apenas a Tradição Farroupilha resiste à acultura da superficialidade? Tchê!

Pagamos os mais caros impostos do planeta pelos piores desserviços públicos do mundo. Os recursos são consumidos em uma rede de teias de corrupção e desperdício. Essa realidade antiecológica obviamente é inaceitável. Contudo, vem sendo tolerada pela sociedade brasileira. Há uma espécie de décifit de atenção coletivo, cujo inconsciente está entorpecido por uma acultura de superficialidade, com acentuada terceirização do pensamento: http://www.padilla.adv.br/processo/morosidade/

Aproxima-se 20 de setembro, o feriado Farroupilha, celebrando a saga da Guerra dos Farrapos, ancestrais que rejeitaram a aliança com o vizinho Uruguai. Podemos mudar os rumos da história.

O Hino Riograndense registra que – para ser livre, é preciso ter CULTURA, e aspira a que sirvam de modelo as “façanhas”, isto é, os fatos que superaram a lenda e tornaram legendária a tradição guerreira. Contudo, pelo contrário, ao invés de modelar-se nos atributos da honra, a brasilidade está entregue. http://www.canaleletronico.net/index.php?view=article&id=102#josc179

Para turbinar a globalização, os politicorruptos minam a resistência, saturando de (des)informações ambíguas e contraditórias, invertendo os valores.

Só um tipo resiste, prejudicando o merchandising, e retardando a padronização do consumo. “Um certo Capitão Rodrigo” cativa e conquista. Há CTGs – Centros de Tradição Gaúcha, em todos cantos deste planeta. Em “O tempo e o vento”, Érico Veríssimo identifica as características de Cambará, simples, autêntico, adaptável e corajoso: http://www.padilla.adv.br/alegre/gaucho/erico/

Não conseguindo suplantar essa Cultura, os sociopatolobistas iniciaram um processo de desdenhá-la: Misturar realidade com ficção, mensagens subliminares, repetição de mentiras até serem banais; reforço paralelo; idolatria de falsas lideranças, e profusão de paradoxos! Todos os recursos para entorpecer.

É uma cruzada contra os novos bárbaros, os gaudérios que, em pleno Séc. XXI, bebem chimarrão ao invés dos industrializados; preferem bombachas às grifes; usam um linguajar próprio, resistindo aos comando subliminares. Pior, disseminam o consumo de carne assada, o prato mais simples de preparar e avesso à dieta açucarada que destrói a saúde: http://pt.scribd.com/doc/61508666/

Reparou como, no final do Sec. XX, surgiram piadas sobre gaúchos? Que Deus, na sua infinita bondade, apiede-se dos detratores. O gaúcho é ecológico, e arrebatador. Olha os “lírios do campo”, escuta “musica ao longe”, sobreviveu ao “incidente em Antares”. Também pudera: Foi forjados pelo Minuano, o vento implacável! Ψ http://www.padilla.adv.br/alegre/gaucho/

Liderar é decidir com sabedoria.

Poder deve ser exercido com responsabilidade:

Na Semana Farroupilha, vamos fazer cairem os butiá do bolso!

O samurai do pampa brasileiro, como a relva que sobrevive ao rigoroso inverno, vai acordar do torpor e irá vencer à danosa acultura da superficialidade!

http://magrs.net/?p=7928#more-7928

Publicado em Não categorizado | Marcado com , , , , , , | 1 Comentário

CREF Conselho de Educação Física não pode interferir no ensino de Yoga, Dança, Artes Marciais e Esportes de Luta

STJ confirma:

CONFEF/CREF, Conselhos de Educação Física, não podem interferir no ensino de Yoga, Dança, Artes Marciais e Esportes de Luta

26/04/2011 – 15:18 – RESULTADO DE JULGAMENTO FINAL: PROSSEGUINDO O JULGAMENTO, APÓS O VOTO-VISTA DO SR. MINISTRO HAMILTON CARVALHIDO, A TURMA, POR UNANIMIDADE, CONHECEU PARCIALMENTE DO RECURSO ESPECIAL E, NESSA PARTE, NEGOU-LHE PROVIMENTO, NOS TERMOS DO VOTO DO SR. MINISTRO RELATOR.

EM MESA PARA JULGAMENTO – PRIMEIRA TURMA – SESSÃO DO DIA 26/04/2011 14h

Oportuno acabar com a discriminação contra artes marciais e esportes de luta.
http://www.padilla.adv.br/evoluir/perceber

Profissionais em busca da verdade deveriam saber que:
As artes marciais desenvolvem a paz interior e semeiam a harmonia.
http://www.padilla.adv.br/desportivo/artesmarciais

A quem interessa a “crença” de que são supostamente violência?

As corporações que querem lucrar:

Artes marciais e esportes de luta “vacinam” contra a terceirização do pensamento?
Ajuda as crianças a desenvolver toda a capacidade de percepção.
Se os pais, assustados pelas crenças, evitarem colocar os filhos em artes marciais, haverá mais adultos fáceis de aliciar aos padrões de consumo e de comportamento não saudável.

Life is too short to be little…
http://www.padilla.adv.br/evoluir/shibumi/

Registra a tua opinião em
http://ning.it/f30jbq/

—– Original Message —–
Sent: Wednesday, March 23, 2011 2:01 PM
Subject: STJ iniciou julgamento Recurso Especial das decisões impedindo
CONFEF/CREF, Conselhos de Educação Física, de interferir no ensino de Yoga,
Dança, Artes Marciais e Esportes de Luta

O STJ iniciou o julgamento do Recurso Especial interposto das decisões
que impedem os CONFEF e CREF, Conselhos de Educação Física, de interferirem
na prática ou ensino de
Yoga, Dança, Artes Marciais e Esportes de Luta –
inclusive fixa pena pecuniária para qualquer intromissão ou tentativa.

Votou o Ministro Relator, confirmando a Decisão:
17/03/2011 – 14:39 – RESULTADO DE JULGAMENTO PARCIAL
REsp-1012692 RS (2007/0294222-7):
http://www.stj.gov.br/webstj/Processo/justica/jurisprudencia.asp?valor=200702942227

APÓS O VOTO DO SR. MINISTRO RELATOR CONHECENDO PARCIALMENTE DO RECURSO
ESPECIAL E, NESSA PARTE, NEGANDO-LHE PROVIMENTO, PEDIU VISTA O SR. MINISTRO
HAMILTON CARVALHIDO. AGUARDAM OS SRS. MINISTROS TEORI ALBINO ZAVASCKI E
ARNALDO ESTEVES LIMA.

Há muito interesse dos professores de educação física e de seus
Conselhos, CREFs/CONFEF, de criarem um enorme mercado de trabalho:
– Todo local de ensino de dança, yoga, luta, etc., seria obrigado
a contratar professor de educação física e pagar taxas ao CREF.

Os Conselhos passariam a ter ingerência nessas modalidades de atividade.
Aumentar-lhes-iam as arrecadações de anuidades e de taxas, e seu poder
econômico e político.

Valha-me Deus!
O professor de educação física seria “responsável técnico” formalmente, sem
qualquer necessidade de efetivamente conhecer ou apresentar capacidade
técnica na matéria especializada.
Contudo, a maioria dessas atividades exigem conhecimentos e um longo tempo
de formação – incompatíveis com os programas dos cursos de educação física.

O tempo de preparação de um instrutor varia conforme a modalidade.
No exemplo do Karate, para ser instrutor é necessário uma graduação mínima
de 3º Dan, a qual demanda
uma década de dedicação.

Então, porque querer interferir em algo que não entendem?

Até professores de educação física – que lecionam nas redes de ensino –
recusam-se a se filiar ao CREF!
Para ensinar nas escolas, conquistaram habilitação para a atividade
comprovada por diploma de curso superior e enfrentaram concursos.
Como o ensino está aviltado, e os salários baixos, muitos se recusam a pagar
anuidades/taxas ao CREF.

Onde foi parar a dignidade humana dos instrutores de dança, yoga, luta, etc.
de
vasta experiência quando pretendem os sujeitar à “supervisão” de um recém
formado em educação física?
Se a atividades ainda não foi regulamentada, é por omissão do Estado:
http://www.padilla.adv.br/desportivo/artesmarciais/regulamentacao/

A pergunta, que não quer calar:

Toda atividade física necessita de “supervisão” de um filiado ao CREF?

No curso de agronomia, ao aprender a usar os equipamentos de medição, os
alunos fazem muita atividade física. Logo, por essa lógica, os professores
universitários serão obrigados a dispor da “supervisão” de um filiado ao
CREF!

Surreal!

Até para beijar a(o) namorada(o), se trata de uma atividade física com
uma série de implicações, precisaremos de supervisão… Pelo menos que seja de um(a) bela(o) professor(a) de educação física!

Detalhes dos julgamentos da Justiça do RS em:
http://www.padilla.adv.br/cref

Professor Luiz Roberto Nuñes Padilla

Publicado em Desporto Esportes

Olá, mundo!

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!

Publicado em Não categorizado | 1 Comentário

Combat Games – Jogos Olímpicos Marciais

 

Citação

Artes Marciais são prática de aperfeiçoamento e defesa pessoa mas que também são desporto de alto rendimento e, como tal, ocupam o 2º lugar, atrás do futebol. Veja mais em http://www.padilla.adv.br/desportivo/artesmarciais/

http://www.youtube.com/view_play_list?p=60BE973916F3ECA1

YouTube – Combat Games – Jogos Olímpicos Marciais

Publicado em Desporto Esportes | Deixe um comentário

Paradoxo do desporto profissional Manchester United vs Chelsea (Clever Corner Kick) Jogada ensaiada erro a

     Entenda o paradoxo do desporto profissional em http://www.padilla.adv.br/desportivo/conceito/
 
 
   O desporto profissional é um paradoxo:
   As mais importantes disputas envolvem atletas que auferem milhões de salários e outras bonificações. Dispõe do que há de mais moderno – e caro! – em medicina, nutrição e preparação física. Contudo, os que dirigem a modalidade, tanto na entidade de administração(federações), quando nas de prática(clubes), dedicam-se pela paixão ao esporte. Esse amadorismo contamina os TJD, Tribunais de Justiça Desportiva, cujos auditores não possuem vínculo nem recebem salários.
    O quadro de árbitro é híbrido. O juiz possui, na disputa,  uma posição semelhante ao do magistrado na condução do processo judicial:   Está investido de um poder-dever de atuar com dignidade, observando, e fazendo cumprir às regras. Deve punir os infratores, e tudo registrar na súmula, documento oficial da competição. As infrações disciplinares anotadas pelo árbitro são o principal instrumento de trabalho da Justiça Desportiva!
   Contudo, não desfrutam de garantias financeiras. São meros prestadores de serviços eventuais, sem vínculo empregatício na modalidade onde, não obstante, exercem uma indispensável função. Recebem por arbitragem, sem garantias…
Understand the paradox of professional sport in
                        http://www.padilla.adv.br/desportivo/conceito/
To read in english, just click twice the flag…
   Professional sport is a paradox:
   The most important disputes involving athletes who earn millions in salaries and bonuses. It has what is most modern – and expensive! – In medicine, nutrition and fitness. However, those who run the game, both in the entity management (federations), while in practice (clubs), are dedicated passion to the sport. This contaminates the amateurism TJD, Sports Courts of Justice, whose auditors have no connection or receive salaries.
    The referee is part of a hybrid. The judge has, in the race, a position similar to the magistrate in the conduct of the judicial process: You are invested with a power and duty to act with dignity, observing, and enforcing the rules. Should punish the offenders, and all register on the scoresheet, the official document of the competition. The disciplinary infractions noted by the referee are the primary tool of Sports Justice!
   However, do not enjoy financial security. Service providers are merely possible, without employment in the mode where, nevertheless, exert an essential function. Receive through arbitration, with no guarantees …
    You can read in english, just click twice the flag
 
Publicado em Desporto Esportes | Deixe um comentário

Ajuda a amamãe? What Helping Hand!

Publicado em Entretenimento | Deixe um comentário

Viva + e muito melhor; Vida é feita de escolhas!

Publicado em Bastam alguns segundos para a fama... | Deixe um comentário